Pesquisar este blog

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Véu, voilette e mantilha


A maioria das noivas opta por usar véu, voilette ou mantilha no grande dia, pois ele ajuda a compor o visual, além de valorizar a beleza e ter um quê de mistério. Mas esse acessório é também repleto de significados.
Fonte: Site da grife Idea Sposa

Na antiga Grécia o véu era usado para proteger a noiva do mau olhado e dos possíveis admiradores. Já na Idade Média a peça era utilizada pelos anglo-saxões, como forma de identificar as mulheres casadas. Nesse mesmo período, em outras regiões, o véu representava a nobreza, além de ser utilizado para proteger pelas mulheres das classes mais abastadas para proteger a pele do sol e do vento.

Fonte: Google Images


Já para os cristãos o véu branco é simbolo da pureza e a virgindade, pois aparece em todas as imagens de Maria, mãe de Jesus.  Por isso, reza a tradição que somente as mulheres virgens podem se casar usando véu.

Tradições, supertições e crenças à parte, o fato é que o véu é um acessório muito bonito e que deixa a noiva com um look digno de princesa!

Tipos

Véu – feitos em tecido opaco, translúcido ou com um pouco de brilho.

Fonte: Google Images

Fonte: Contract Love - Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images


Mantilha -  feita em renda e ornamentado com uma renda mais larga na beirada, pode ser também feito de tule com renda em volta.

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images


Voilette – véu curto, usado com casquetes ou fascinator e tampa o rosto.

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images



A escolha do véu deve ser feita após a definição do modelo do vestido. Quanto mais bordados e pedrarias, mais simples deve ser o véu. Mas se o vestido for pouco trabalhado o véu pode ser bordado, com aplicações e rendas, para compor o look da noiva.

O véu também depende da formalidade do casamento, quando mais clássico, maior o véu, a mesma regra vale para altares com escadas. Já nos casamentos diurnos e informais a noiva pode escolher o tipo de véu que mais lhe agradar e se irá usá-lo ou não.


Com informações dos sites Zankyou / Casamento e Cia

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Inspirações da semana

As imagens falam por si! São lindas!! <3


Do Pinterest de Bridal Musings

Do Pinterest de Danielle Hirt

Do Pinterest de Marvella Nevarez

Do Pinterest de Hope Stanley

Do Pinterest de Karlene Harders

Do Pinterest de Laura



Passa lá no meu perfil do Pinterest e confira mais imagens inspiradoras!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Boutonnière é o charme do noivo!


A palavra boutonnière tem origem francesa e é a famosa flor na lapela do noivo, acompanhada de algumas folhagens, raminhos, trigo, ervas aromáticas ou até penas. Os padrinhos, os pais da noiva e do noivo também podem usar para destacá-los dos convidados, lembre-se apenas que a flor do noivo deve ser diferente, dando evidência especial a ele.

Fonte:Google Images

Fonte: Google Images / foto de Carlos Andres e Allan Zepeda

Fonte: Google Images


Fonte: Google Images

O boutonnière sempre é colocado na lapela esquerda do homem, a flor mais tradicional é o cravo branco, que simboliza o amor puro. Mas atualmente há grande variedade de flores e outros materiais, tais como mini callas, jasmin, orquídeas, botões e outros.

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: theknot.com / Foto de Lindsay Flanagan

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images



Vale lembrar que é errado utilizar o boutonnière junto com o lenço no bolso, o noivo deve escolher entre um e outro. Geralmente a flor da lapela é a mesma utilizada no buquê da noiva, mas não é regra, você pode encomendar para a florista a que mais te agradar, desde que seja pequena, para não ficar exagerado.

Passa lá no meu perfil do Pinterest para conferir mais alguns modelos de boutonnière!

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Destinos românticos internacionais - Alemanha


A viagem de lua de mel é muito especial para o casal, pois é o primeiro passeio após o casamento, é um momento de muita felicidade e cumplicidade entre os recém-casados. Muitos escolhem destinos internacionais para passar os primeiros dias de casados, conheça a Rota Romântica na Alemanha.

O destino é famoso e quem o escolhe está em busca de um lugar repleto de belezas naturais, arquitetura rica, cultura e tranquilidade. A Rota Romântica é formada por 350 km, que passam pelo rio Main, vinhedos franconianos, até chegar aos Alpes. São vilarejos históricos e construções monumentais, que impressionam e encantam quem passa por lá.

Vinhedos franconianos. Fonte: Google Images


A rota atravessa o charmoso Vale Tauber, o Nördlinger Ries, localizado no coração de uma gigante cratera, a pitoresca planície Lechfeld, Pfaffenwinkel– uma terra de fazendeiros, artistas e monges, situada ao pé das montanhas dos Alpes, ao norte da Baviera – antes de desembocar nos famosos castelos dos contos de fadas do rei Ludwig, localizados em Schwangau, são cercados por quatro lagos e ficam em frente à área de preservação de natureza das montanhas Ammer.

Castelo Hohenschwangau. Fonte: Google Images.


Castelo Neuschwanstein. Fonte: Google Images.



Cidades da Rota Romântica
  •  Wurzburg

É conhecido como ponto de partida da Rota Romântica. Wurzburg é uma cidade medieval onde é possível contemplar igrejas, palácios e monumentos entre os quais sobressai o magnífico Castelo Marienberg e o Palácio Residencial do século XVIII, patrimônio Cultural da Humanidade.

Castelo Marienberg. Fonte: Google Images



  •          Rothenburg ob der Tauber

Esta pequena cidade medieval é uma das cidades mais visitadas da Rota Romântica. Aproveite para conhecer a praça do mercado, a igreja Jakobskirche, o museu do crime e o museu de bonecas e brinquedos.

Rothenburg.  Fonte: Tassia Corina


  •          Dinkelsbühl

A cidade possui muitas edificações datadas dos séculos XIII a XIX. O centro histórico é todo cercado de muros, vários portões e torres.

Fonte: Google Images


  •          Nördlingen

É uma das cidades medievais mais bem preservadas da Alemanha, suas antigas construções estão em perfeito estado, bem como a muralha que cerca toda a cidade. Aproveite para conhecer a igreja de São Jorge, vale a pena subir os 350 degraus e contemplar a paisagem do alto.

Igreja de São Jorge. Fonte: Google Images


  •          Augsburgo

A cidade é um dos mais relevantes centros comerciais e industriais da Baviera. Tire um tempo para visitar o prédio da prefeitura, construído em 1620, os 15 museus, a Catedral, a casa de Berthold Brech, o Palácio Schaezler e a Fuggerei, o mais antigo conjunto residencial de caráter filantrópico do mundo.


Seguindo viagem pela Rota Romântica, vá em direção ao vilarejo Schwangau e faça uma parada nas proximidades de Steingaden para conhecer uma igreja muito especial a Wierskirche, construída em homenagem a um milagre acontecido na região. A construçao foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade por ser uma obra de arte única.


Chegando ao fim da Rota, alcançamos no vilarejo de Schwangau e a cidade de Fussen. La o Castelo de Veuschwanstein, o mais famoso da Alemanha. A região conta ainda com outros atrativos como o Mosteiro de Ettal, as cidades de Oberammergau e Garmisch-Partenkirchen, a montanha Zugspitze – a mais alta da Alemanha com quase 3.000 metros, existem excursões para subir ao cume, onde é possível visualizar a região da Áustria, Itália e Suíça.


Com informações do site Viagem de Lua de Mel


Boa viagem!