Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Destinos românticos no Brasil


Lua de mel ou apenas uma viagem a dois, seja qual for a intenção, existem destinos lindos e que favorecem o clima de romance entre o casal. Conheça alguns lugares e coloque na pastinha de inspirações.

Paraty – RJ
A cidade é repleta de belezas naturais e preserva até hoje verdadeiros paraísos, além da rica arquitetura. Vale à pena fazer passeios pelo centro histórico e apreciar as construções, paisagens, bares e restaurantes. Passeios de barco e escunas também são imperdíveis.
Aproveite também para ir até o Parque Nacional da Serra da Bocaina, à Área de Proteção Ambiental do Cairuçú, onde fica a Vila da Trindade, e à Reserva da Joatinga.

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Praia do Forte – BA
A Praia do Forte é uma antiga vila de pescadores e tem como principais atrativos o ecoturismo, devido à presença do projeto Tamar e do Instituto Baleia Jubarte para preservar as espécies ameaçadas de extinção e que fazem da região seu berçário natural. Aproveite para conhecer o castelo de Garcia D’Ávila, mergulhar nas piscinas naturais, visitar o projeto Tamar, avistar as baleias (entre junho e novembro) e conhecer a vila.

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images




Maragogi – AL
A cidade fica próxima a Maceió, no coração da Costa dos Corais, a vila reúne belezas naturais como mar cristalino, areias finas, coqueirais e recifes, formando um cenário paradisíaco.  Piscinas naturais enormes, repletas de peixes, ficam a seis quilômetros da costa completam a paisagem, mas para chegar lá é preciso ir de catamarã ou lancha, disponíveis na praia central.

Os atrativos de Maragogi, entretanto, não se resumem aos aquários naturais. Os cenários, tanto ao Norte quanto ao Sul, são encantadores e praticamente desertos. Na direção de Pernambuco, as praias de Burgalhau, Barra Grande e Ponta do Mangue, com suas águas azul-esverdeadas, ganham ainda a rusticidade das vilas de pescadores, com casinhas simples e jangadas coloridas cruzando o mar. Nas pequenas cidades ao redor, como Barra de Santo Antônio e São Miguel dos Milagres, os programas incluem travessia de rio, visita à ilhas e passeios em meio a construções históricas.

A gastronomia é outro ponto forte da região, com simples e bons restaurantes especializados em frutos do mar espalhados pelas praias e vilas. Não deixe de experimentar o famoso bolinho de goma, uma espécie de sequilho à base de manteiga e leite de coco, vendido em bares e lojinhas. A iguaria é produzida no povoado de São Bento, a quatro quilômetros de Maragogi. Com informações do site Férias Brasil

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images





Campos do Jordão – SP

A cidade tem clima bem determinado em cada época do ano, mas é entre os meses de abril e julho que Campos do Jordão fica ainda mais atrativa, quando as temperaturas estão baixas.

A cidade tem rico parque hoteleiro com quase nove mil leitos distribuídos em hotéis e pousadas. A gastronomia passa pela tradicional culinária caseira, com direito a fogão à lenha, até os finos toques e sabores da culinária francesa, além das carnes exóticas, massas, culinária portuguesa, contemporânea e os irresistíveis fondues e racletes. Com informações do site Campos do Jordão

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images



Gramado e Canela - RS

Gramado é a cidade do natal luz, com suas ruas e praças enfeitadas por canteiros coloridos, prédios em estilo bávaro e enxaimel, vitrines cuidadosamente decoradas e excelente infra-estrutura. Além disso, a cidade tem uma variada opção gastronômica para os seus visitantes desfrutarem.


Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images


Canela é uma cidade privilegiada pela natureza. Possui os mais belos parques da região e uma infra-estrutura excelente para o turismo. São várias pousadas, restaurantes e lojas que oferecem conforto, variedade e um ótimo atendimento que é uma tradição na Serra Gaúcha. Além disso, Canela está no centro da Serra Gaúcha. Retirado do site Gramado e Canela. 


terça-feira, 17 de abril de 2012

Casamento real - Juliana e Everton

Queridas leitoras, hoje vou postar algo diferente, o casamento de uma amiga muito querida, a Ju!! Nos conhecemos na faculdade, lá em 2006, viramos amigas e hoje venho contar para vocês como foi o casório dela com o Everton!



Em 2011 eles se conheceram na faculdade de Teologia, em Belo Horizonte, e a Juliana era a única menina da turma, e aos poucos se tornou amiga do Everton. “Nós nos tornamos muito amigos. Sempre, antes da aula saíamos pra tomar um café, um cappuccino ou sorvete! Fazíamos prova e alguns trabalhos juntos. Até na hora do intervalo na faculdade, a gente arranjava assunto para tomar um café. Muita gente me falava que ele gostava de mim pra namorar. O mesmo acontecia com ele”, relembra Ju.

Mas, como nem tudo são flores, no meio da história deles aconteceram alguns probleminhas. “Antes das férias de julho ele precisou trancar o semestre para voltar a cidade dele, Nhandeara, em São Paulo. Eu fiquei triste, mas foi quando me dei conta de que gostava dele. Enquanto muita gente falava para eu me declarar, eu resolvi pedir pra Deus uma direção. Foi numa noite linda, que eu ouvi... ”espera só um pouquinho”... Não, eu não estava ficando maluca! Ouvi mesmo uma voz que me dizia para esperar. E eu esperei. Fiquei com saudade, achei que ele não ia voltar. Mas confiei em Deus. Então, no primeiro dia de aula na faculdade após as férias, quem eu vejo? Ele. Sim, ele estava lá com um sorriso enorme e me abraçou. Nossa rotina voltou e eu comemorei. Todos viam nossos sorrisos, até os professores brincavam com a gente. Menos de uma semana depois ele me pediu em namoro. Namoramos sete meses antes do casamento”, conta Juliana.

Enquanto namoravam, Everton precisou voltar para Nhadeara novamente, desta vez para cuidar da saúde. O casal passou por um dilema, sem saber se terminavam ou namoravam à distância, decidiram que continuar juntos. Conversavam todos os dias, por até três horas seguidas (é muito amor, óóuun <3), ela foi ao encontro dele algumas vezes, viajando mais de 800 km para encontrá-lo. “Deus estava com a gente o tempo todo. Nós oramos juntos, líamos a Bíblia, mesmo por telefone. E isso foi fazendo com que a gente ficasse mais forte pra aguentar a distância. Foi numa das viagens que conversamos e começamos a falar sobre casamento. Nós tínhamos a certeza do que queríamos, então começamos a planejar tudo”, explica a noiva.

O casamento dos pombinhos foi marcado no primeiro dia útil de 2012 (02/01), pois eles queriam se casar no final de março, no dia 24/03. “Quando conversamos com a oficial do cartório, ela sugeriu essa data e disse que o dia estava disponível. Tudo estava se encaixando”, comemorou Juliana.



 A partir daí começaram os preparativos para o casamento. “Meu marido foi bem eficiente e me ajudou muito, minha sogra e minha mãe também, nós dividimos as “tarefas”. Em Belo Horizonte eu escolhia o vestido de noiva, roupa do pajem, vestidos da daminha e demoiselle, lembrancinhas, coisas para a nossa casa, enxoval, etc. Enquanto o Everton via o local da festa, igreja, docinhos da festa, terno, fotógrafo e acompanhava as obras na nossa casa. Durante as viagens para Nhandeara eu escolhi a floricultura para a decoração e alguns detalhes. Minha mãe ajudava em BH e minha sogra em Nhandeara. Minha amiga, Léslie, me ajudou na escolha e organização das musicas e ordem do culto”, explica a noiva.


Enfim chegou o grande dia, tão aguardado por todas as noivinhas. Juliana conta que ficou nervosa, mas ao mesmo tempo estava tranquila e o noivo também. Eles se casaram no mesmo dia no cartório e na igreja.  No estado de São Paulo pode-se casar ao sábado no cartório, em Belo Horizonte não e nós queríamos tudo no mesmo dia. Foi meio corrido, mas foi legal. No dia 24/03 bem cedo eu fui para o salão me arrumar para o casamento no cartório.  Casaríamos às 11h, chegamos no horário e foi bem tranquilo, demos muitas risadas. Somos bem palhaços, então fizemos brincadeiras com o juiz, brincadeiras na hora das fotos e depois fomos almoçar na casa da minha sogra, fizemos um churrasco, porque minha família toda veio com alguns amigos de BH. O tempo passou rápido e logo eu fui pro salão de novo. Lá sim, eu estava nervosa. Vi que ia atrasar e chorei.  Passei o dia imaginando o que ele estava fazendo. Duas amigas, minha mãe e sogra se arrumaram comigo, mas saíram antes. A equipe do salão foi ótima e eu me senti realmente linda. A maquiagem e meu cabelo ficaram do jeito que eu imaginava e o vestido era lindo! Eu estava bem calma enquanto me arrumava. Meu sogro foi me buscar e disse que a igreja já estava cheia e o pessoal só estava me esperando, rs”, relembra Juliana.





Entrar na igreja é momento mais esperado pela noiva, momento em que a emoção vem à tona. “Deu um frio na barriga e eu só queria olhar para ele. Mas também de cara vi que o tapete não era o que tínhamos escolhido, por um instante senti raiva, mas passou muito rápido (conta aos risos). A marcha nupcial começou a tocar, meu irmão me deu o braço e nós entramos. Eu sorria de orelha a orelha, meu foco era o Everton! No altar minhas pernas tremeram um pouco e o Everton me disse, depois, que as dele também. Foi bem legal o casamento. Durante toda  a cerimônia estávamos de mãos dadas e ele segurava firme! Nós sorríamos o tempo todo. No final do casamento, quando achei que íamos nos preparar para sair, ele fez uma declaração de amor pra mim, e foi lindo!! Depois de tirar fotos com os padrinhos, saímos da igreja e os convidados nos surpreenderam com chuva de arroz. Super divertido”, conta a noiva.










O local da festa era bem pertinho, na esquina da igreja, e antes eles passaram em um posto de gasolina, para tirar algumas fotos e seguiram a pé para o salão. “O povo cumprimentava a gente pela rua, até os “tios” no bar! Chegamos na festa e o Everton entrou com meu buquê e eu segurei o terno dele. Ah, o cardápio da festa? Pizza é claro! Bem a nossa cara. Sim! o nosso casamento terminou em pizza”, comemora.

Foto do Studio Bonfim







Foto do Studio Bonfim

*Todas as fotos divulgadas são do fotógrafo Jorge Bonfim, do Studio Bonfim






Felicidades ao casal!!!



quinta-feira, 12 de abril de 2012

Damas e pajens são o momento fofura do casamento


As crianças são lindas, espertas, engraçadinhas e muitas vezes roubam a cena no casamento e anunciam a entrada da noiva. A escolha dessas fofurinhas deve levar em conta a idade e a proximidade com os pais das crianças, pois afinal vocês deverão acordar quem irá pagar os gastos com o aluguel das roupas e acessórios.

Para convidar as daminhas e pajens você pode preparar um pequeno mimo, como comprar uma boneca fofa para cada uma delas e carrinhos para os meninos ou caixas de bombons com temas infantis, com um cartão escrito por você convidando a criança. Os pais se sentirão prestigiados também e ficarão felizes com o mimo para os filhos. A função das daminhas é bem simples, elas podem ser floristas, entrar com buquês de balas ou também como porta-alianças, anunciando a chegada da noiva.

Na hora de escolher os vestidos e ternos lembre-se de que são crianças e que antes de tudo, devem se sentir confortáveis com as roupas, evite os excessos, como as roupas cheias de tecido, armações e muito bordado. Pois se a criança ficar incomodada, chorar ou até mesmo não entrar na igreja.

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Escola da noiva

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images



Escolha vestidos charmosos, de tecidos leves e que pode ser até coloridos, de acordo com o gosto da noiva. Os terninhos podem ser pretos, cinzas ou de cores claras, de acordo com o horário do casamento e com o terno do noivo.




Bridesmaids

Se optar por damas adultas, as bridesmaids, ou adolescentes defina junto com elas qual é o modelo de vestido que mais agrada, já a cor você pode escolher. As damas adultas carregam apenas buquês e uma delas pode ser porta-aliança.

A tradição de damas adultas não é muito comum no Brasil, mas algumas noivas estão inovando e trazendo a ideia para cá. Muito utilizada nos EUA e Europa as “bridesmaids”, como são chamadas, são amigas da noiva que se vestem de forma muito parecida e entram antes da noiva no cortejo, protejendo a de espíritos maus e energias ruins.

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images

Fonte: Google Images



Na hora do cortejo, é interessante que as damas de honra adultas entrem depois das daminhas e pajens, antecedendo a entrada da noiva. Peça ao cerimonial para orientá-las a entrarem em duplas, com as mais baixas na frente e as mais altas atrás. 

Se quiser fazer um convite charmoso à suas amigas, compre kits personalizados, que podem conter chás, aromatizadores de ambiente, chocolates ou até bem-casados. Pode ter certeza que elas se sentirão prestigiadíssimas!

sábado, 7 de abril de 2012

Tensão pré casamento

Ansiedade, tensão, nervosismo... toda noiva passa por isso e sabe que é praticamente impossível controlar. Não importa se o casamento será grandioso ou para poucos convidados, luxuoso ou simples, há muitos detalhes, fornecedores, contratempos, medos e insegurança, pois achamos que não será possível cuidar de tudo.

Fonte: Imagem do Google Images


É nessa hora que o estresse está em seu nível máximo e é daí que surge o termo “bridezilla”, que junta as palavras bride – noiva em inglês, com Godzilla (sim, aquele monstro do filme). É difícil conseguir se acalmar e organizar tudo, mas tente seguir algumas destas dicas:

1) Organize
A falta de controle sobre o que já foi feito e o que ainda está pendente é a principal razão para ficar ansiosa e estressada. Crie planilhas com as pendências e também com tudo o que já foi feito. Atualize-a com frequência. Ter esta lista em mãos a ajudará a ter controle de tudo.

2) Simplifique
A vontade é personalizar e cuidar de cada detalhe, mas não é muito inteligente esta atitude, pois quanto mais personalizado, mais trabalho. Se você faz questão, escolha alguns itens apenas. Além disso, os trabalhos personalizados custam mais caro. Aceite sugestões do cerimonial, afinal, eles sabem o caminho das pedras e estão acostumados a todo tipo de evento.

3) Aceite ajuda
Não tente bancar a durona, pois é muito importante ter a ajuda das pessoas que você gosta. Desta forma, você divide as tarefas e faz com que as pessoas se sintam especiais.

4) Cuide do relacionamento
Não jogue o noivo para escanteio, tente não ficar irritada com ele e lembre-se, a festa é para comemorar o casamento de vocês! Quando perceber que estão brigando por qualquer motivo, pare, respire e lembre-se que vocês vão casar. Saia com ele, namore, estipule um dia para curtirem a dois e não falem sobre o casamento, isso ajudará a aliviar a tensão.

5) Desapegue
Toda festa sempre tem algo que dá errado, isso não acontece só em casamentos. Pode acontecer um engarrafamento, um fornecedor não aparecer, as flores podem ser diferentes das que você escolheu, etc. Esqueça o imprevisto e curta sua festa junto com seu noivo, afinal, vocês a esta altura, já estarão casados e é isso que importa.